Skip directly to content

O Desafio de Educar

Palestra no Colégio Sagrado Coração de Maria

Em sua explanação, Patrícia compartilhou algumas estratégias que contribuem para que as crianças e jovens ajam conforme comportamentos desejáveis. Segundo ela, além de oferecer amor, afeto e entusiasmo, incondicionalmente, os pais devem educar por meio do exemplo, já que o padrão de conduta adotado pelos adultos é copiado pelas crianças.Outro ponto abordado pela pedagoga e psicóloga, foi a proteção excessiva dos pais, em relação aos seus filhos, na tentativa de livrá-los do sofrimento e fazê-los mais felizes, a qualquer custo. Para Patrícia, os pais precisam educar seus filhos para a resiliência e possibilitar o conhecimento do “não” e da frustração. Segundo ela, quanto mais a criança conseguir lidar com o sofrimento, mais ela desenvolverá habilidades de superação e crescimento. Ela ainda utilizou as palavras de Seligman, para confirmar essa afirmação: “Quando os pais, impulsivamente, protegem os filhos do fracasso, acabam por privá-los de um aprendizado de habilidades. Quando se evita o ‘sentir-se mal’, cria-se mais dificuldade para os filhos se sentirem bem”.atrícia ainda sugeriu algumas estratégias de intervenção para os pais, que influenciarão, diretamente, no comportamento dos filhos. A utilização do “time out”, a “cadeira do pensamento”, a remoção de recompensas e privilégios, o “castigo” educativo e o “contrato” comportamental, estabelecido entre pais e filhos, foram alguns pontos citados.

Antes da adoção dessas estratégias, Patrícia esclarece que é necessária a tomada de cinco passos:

1)      A identificação do erro cometido;
2)      O esclarecimento sobre o sentimento que determinado comportamento gerou nos pais;
3)      A sugestão de alternativas de resolução para o comportamento;
4)      A indicação da punição aplicada e
5)      O esclarecimento da expectativa em relação ao comportamento esperado no futuro.

Por fim, a especialista resumiu que educar é algo que dá trabalho: “um projeto familiar requer disposição para fazer empreendimentos, exige tempo, técnicas, recursos e, principalmente, necessita de pessoas dispostas a conseguir uma família funcional (…) O melhor pai e a melhor mãe são aqueles que tentam ser a melhor pessoa para si mesmos”, concluiu.

O Colégio Sagrado Coração de Maria acredita que o momento foi oportuno para refletir sobre a necessidade, constante, de melhorias e atualizações na educação, seja no ambiente escolar, seja em casa. Foi uma oportunidade de também reforçar a importância da parceria entre a escola e a família, no processo de formação de crianças e jovens.

“Felizes de nós, pais e mães, que tivemos o privilégio de ouvir sábias palavras. Precisamos reciclar sempre, então, temos que nos agarrar a essas oportunidades que nos são proporcionadas pela Escola. E vocês, como Educadores, foram MUITO BEM enaltecidos (esse momento para mim, foi singular). É importante, nós pais, lembrarmos das nossas responsabilidades no educar (e no cuidar). Não é fácil, dá trabalho, é um desafio, mas é de nossa RESPONSABILIDADE. E precisamos lembrar, também, que temos que atribuir aos nossos filhos as suas responsabilidades. Foi uma noite de muito aprendizado! Que tenhamos muitos outros encontros como esse – que nos auxilie, que nos oriente – pois inovar e reciclar é necessário… Parabéns, queridos educadores. Obrigada ao Colégio Sagrado Coração de Maria – Belo Horizonte por nos presentear com essa magnífica palestra. E parabéns a essa mestra, Patrícia Quaresma Ragone.” (Maria Goretti Sifuentes Rocha, mãe dos estudantes Gabriel e Frederico Sifuentes).