Skip directly to content

Quadro de Combinados

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
CARTILHA PARA USO DO QUADRO DE COMBINADOS
O quadro de combinados é uma forma de organizar e sistematizar a rotina da criança, aumentando a frequência de comportamentos desejáveis. Essa técnica baseia-se no sistema de mates e recompensas afim de favorecer os comportamentos que esperamos nas crianças e adolescentes. Para que a utilização do quadro de combinados seja eficaz é importante levar em consideração as seguintes etapas: 
Como estabelecer metas?
 
1. É fundamental que os pais estabeleçam metas possíveis, objetivas e relevantes;
2. Delimitar as principais dificuldades do dia a dia da criança (ex.: fazer o para casa sozinho, guardar os brinquedos após o uso, cumprimentar as visitas, etc.);
3. É importante que o quadro contenha metas de nível médio à difícil, uma vez que pontuar apenas os comportamentos que a criança apresenta maior dificuldade pode tornar a técnica pouco motivadora. É importante que a criança sinta que é capaz de executar alguns itens sem tanto esforço para que possa se motivar a conquistar aqueles mais desafiadores; 
4. As metas devem ser expressas no quadro como comportamentos desejáveis e não como aqueles que pretendemos evitar (ex.: se a criança tem mentido, o comportamento desejado e que deve ser mencionado no quadro é “falar as coisas sempre como elas acontecem” ao invés de usar o comando “não mentir”);
5. Para que o quadro seja funcional e a criança consiga cumpri-lo é importante que o número de metas não seja excessivo, contemplando uma média de seis comportamentos avaliados por vez.
 
Como avaliar?
 
1. Cada comportamento só será pontuado uma vez ao dia (um imã no dia da semana correspondente);
2. O critério de avaliação depende em grande parte do bom senso dos pais. Para isto é essencial que estes estejam dispostos a pontuar quando observarem que, mesmo não tendo atingido 100% de eficiência em determinada meta, a criança demonstrou esforçar-se e superou seu próprio padrão comportamental. Por outro lado, os pais devem estar sensíveis a condutas mais comprometedoras que, portanto, não devem ser relativizadas, indicando que a criança não merece receber a pontuação do dia (ex.: a criança bateu em um colega na escola);
 
Recompensas:
 
1. Caso a criança preencha 80% do quadro com os imãs ao final da semana, a mesma deverá receber a recompensa acordada;
2. Para estabelecer formas de recompensar é importante que os pais conheçam bem aquilo que a criança valoriza (ex.: para algumas crianças é mais reforçador ficar mais 20 minutos nos jogos eletrônicos, para outras ter um tempo de brincadeira com os pais...);
3. Evitem as recompensas em dinheiro. As recompensas sociais e afetivas são as mais eficazes; 
4. É fundamental que os pais façam sua parte nesse acordo! Uma vez determinada a recompensa é imprescindível que os pais a cumpram.
 
Sugestões de recompensas:
 
1. Escolher o almoço do dia;
2. Levar um amigo para brincar em casa;
3. Ficar 30 minutos no vídeo game;
4. Escolher um programa do fim de semana;
5. Ir ao cinema;
6. Escolher um jogo para brincar com toda a família;
7. Brincar 30 minutos com o pai ou a mãe, e etc. 
 
 
 
 
Texto organizado por Ana Rodrigues e Renata Tibúrcio